Pages

18 de junho de 2008


Gosto de escrever poemas em que a primeira pessoa é um homem que se declara para a mulher amada. Acho que é porque no fundo, no fundo... gostaria de que escrevessem algo pra mim.

Tuas Manias

Gosto da tua desordem
das tuas guimbas de cigarro no meu cinzeiro
Gosto de ver meus copos manchados com a marca do teu batom escarlate
Gosto do teu cheiro de perfume barato
Empertigado nas minhas roupas, nas minhas coisas, na minha pele...
Gosto tanto da tua presença na minha vida
Que sem ela... perco meu cerne

Adoro esse teu olhar de escárnio
Esse teu jeito sádico de me fazer de gato e sapato
Adoro esse teu hálito misturado com álcool e bala
... meio doce, meio ácido

Adoro o teu sarcasmo
Tuas frases sem nexo
Adoro esse teu jeito de menina mimada
E todos os teus truques perversos

Adoro todas as tuas loucuras
Tuas manias...
Acho que sem elas, não me valeriam nada os dias!

E quando estou prestes a sentir que vai embora...
Quando se afasta dos meus beijos
Ou quando teus olhos inquietos fitam as horas...

Eu me desespero
E agarro tuas pernas finas
Choro, enquanto tu ri das minhas feridas...
E me beijas de novo...
E o mundo volta a girar pra mim.


Renata Sodré

11 comentários:

angel red disse...

Adorei seu blog. Devia escrever mais,pois seus textos são maravilhosos. Obrigada pela visita. Volte sempre:). Bjoks

Rosi disse...

OIÊ
Vim retribuir a visita e prometer um retorno.
Gostei daqui.
Um abraço.

Cin disse...

Uau, adorei o poema, isso � o que chamo de um retorno em grande estilo. Parab�ns!
Bjinhos!

Miscellania disse...

Renata!

Fiquei feliz demais com as palavras que você deixou lá no meu blog.
Sério, não sabe a honra que tive ao terminar de lê-las!
É uma pena que a gente não se esbarre mais por aí, mas tenha certeza de que o período que tivemos de convivência foi o suficiente para que eu te admirasse muito. E mais, posso dizer, com toda certeza, que você é uma pessoa muito querida por mim e que pode contar comigo pro que precisar.
A gente não precisa ver uma pessoa todo dia pra lembrar que ela existe...
Ah, depois me manda o link do seu orkut, porque eu refiz o meu e não consegui te achar!
E pode ter certeza de que a gente ainda se esbarra por aí!

Aproveitando, li todo o seu blog de um fôlego só e ADOREI! Seus textos são lindos...
Continue escrevendo porque você ganhou uma fã! Espero ler mais por aqui!

Beijo grande,

Sylvia de Sá

Lixeira Dourada disse...

Olá!
Poxa, adoramos seu comentário lá no Lixeira, é muito bom saber quando a gente faz algo com carinho e as pessoas reconhecem =)

Aliás, seu blog é maravilhoso. Bom ter você como leitora.

Um beijo.

Anônimo disse...

Lembra da onda na praia... nessas horas ela parece que demora a voltar, mesmo que tenha a certeza de que ela está lá e que em breve retorna preenchendo, derrubando, destruindo barreiras, o receio de ser tragado e submerso perder os sentidos lentamente e me afogar permanece latente, pulsante enquanto me encontro só na beira do mar. Toda a riqueza que ele esconde permanece longe dos meus olhos.

SAULO PRADO disse...

Estou só batendo o ponto!
Vim conhecer seu cantinho!!!
E adorei!!!!

Bruh Barz disse...

Vim conhecer seu blog! adoreii os poemas, os pensamentos, as frases...super bem colocados!!!

ah obrigada por sua visita lá no meu blog, volte sempre viu!!
Super Bjo!
belezzafemininna.blogspot.com

Deni Maciel disse...

hahaha dahora o texto.
manias q pro bm ou pro mal
são caracteristicas.
e relevamos sempre.
seja bom ou seja ruim...

um abraço
ótima quinta quase fDs
*-*
e feliz dia do videocassete aposentado pelo inss!

Tainá Oliveira disse...

tem gente que bagunça tanto a nossa vida que quando saem, sentimos falta!

Carla disse...

Escrever é um das formas mais bonitas de demonstrar sentimentos por alguém!

Adorei o poema!

Um beijo e boa semana!